Dinis Schemann
piano

Biografia

[Download biografia]

Nascido na cidade universitária de Coimbra em Portugal, Dinis Schemann passou a infância em Lisboa e perto do Porto numa propriedade da família. Lá ele começou a tocar piano aos quatro anos de idade. Quando ele tinha 10 anos, a família mudou-se para a Alemanha.

Dinis Schemann estudou na juventude com o Prof. Günter Louegk, depois com o Prof. Alfons Kontarsky e com o Prof. Eckart Besch, na tradição dos pianistas Eduard Erdmann e Walter Gieseking.

Dinis Schemann ainda só tinha 12 anos de idade, quando deu o seu primeiro recital completo de piano a solo. Este concerto iria ser o ponto de partida para uma carreira, entretanto já muito vasta: ele deu mais de 1000 concertos como solista e músico de câmara.

Ele é um convidado em muitos centros de música internacionais e festivais (Filarmónica de Berlim, Rudolfinum Praga, Schleswig-Holstein Music Festival e muitos mais).

A sua obra musical é documentada por gravações que foram feitas, entre outras, em coprodução com a Rádio da Baviera, o Südwestrundfunk ou a Deutschlandradio.

Com a sua esposa Susanne ele tem uma colaboração musical de longa data no piano a quatro mãos.

Dinis Schemann também exerce atividade como diretor artístico de algumas séries de concertos extremamente bem-sucedidos em toda a Alemanha. Aproximadamente 2.500 subscritores assistem a sete séries de concertos, que ele dirige juntamente com sua esposa Susanne e os organizadores locais (veja a rubrica "série de concertos").

Ele só aceitou uma vez um convite para competições, como jurado do Concurso ARD no segmento de piano a quatro mãos.

Dinis Schemann vive com a sua esposa Susanne perto de Munique e viaja regularmente para vários países e culturas para se apresentar em festivais clássicos e séries de concertos.

  • "Uma experiência de concerto inesquecível. Aplausos sobre aplausos e um primeiro bis ..."
    (Jornal “Boehme Zeitung”, 2018)

  • Concerto fantástico na fábrica de Blüthner
    "Quer fosse um forte enérgico ou um pianíssimo subtil- e as muitas nuances entre os dois – a execução foi magistral e segura, interpretada com paixão, roçando por vezes o burlesco."
    (Jornal “Leipziger Volkszeitung” 2018)

  • "Dinis Schemann também fez jus à sua reputação de mestre pianista na tradição de Eduard Erdmann e Walter Gieseking em Kamp. [...] E foi exatamente isso que Dinis Schemann fez: tocar e abrir o coração do público. [...]
    Schemann dominou o ato de equilíbrio entre a grande tensão emocional e o rigor do ritmo controlado com uma soberania convincente."
    (Jornal “Rheinische Post” 2017)

  • Cada tom absolutamente cativante
    "O resultado foi um som que não deixava reconhecer qualquer distância entre o pianista e a obra, tornando-o antes como um ator no meio da ação. Aquela contiguidade do jogo presente em cada tom, cativou o público de sobremaneira. [...]
    No fim, Dinis Schemann foi intensamente aplaudido pelo público por causa da plasticidade da experiência musical. Ele agradeceu com dois estudos opostos de Chopin como extra."
    (Jornal “Süddeutsche Zeitung” 2017)

Séries de Concertos

Dinis Schemann assume, juntamente com a sua esposa Susanne, a direção artística de algumas séries de concertos extremamente bem-sucedidas em toda a Alemanha.

Ao longo dos anos, surgiram sete séries de concertos, que atualmente estão sob a direção artística de Susanne e Dinis Schemann.

A cooperação frutuosa com os respetivos organizadores no local faz com que cada série de concertos seja uma verdadeira joia única.

Cada série é concebida com o cunho do respetivo diretor da organização local.

Esta colaboração foi gerando ao longo dos anos estreitas relações e, por vezes, mesmo relações de amizade.

Com um total de aproximadamente 2.500 subscritores, as séries de concertos representam uma grande história de sucesso para a música de câmara.

  • “Quem é convidado para vir aqui [como artista] tem garantidamente credenciais nacionais e internacionais, sabendo cativar o público com paixão, humor ou criatividade."
    (Jornal “Baden Online")

  • „São sempre artistas de renome internacional que aqui atuam. [...]
    Pretende-se que cada concerto seja igualmente inspirador e tocante, tanto para conhecedores como para aqueles que se estão a iniciar na música clássica."
    (Jornal “Süddeutsche Zeitung")

  • "Dinis Schemann organiza as noites dos Concertos Oberrhein com inteligência, paixão, talento e um sentido infalível de equilíbrio - e o seu sucesso junto do público fala por si. No sábado, o pianista voltou a atuar ele próprio na Oberrheinhalle, mostrando que todas as qualidades acima mencionadas também se aplicam a ele como intérprete".
    (Jornal “Badische Zeitung”)

  • "Música de câmara ao mais alto nível: Graças a Suzana e Dinis Schemann, uma entidade cultural sólida em Borken."
    (Jornal “Borkener Zeitung”)

  • "Uns consideráveis 1.500 subscritores de música de câmara no distrito de Fürstenfeldbruck - este é um número que provavelmente fará com que mesmo as agências de concertos já completamente estabelecidas nas capitais alemãs se roam de inveja."
    (Jornal “Süddeutsche Zeitung”)

  • "Parte do sucesso das três séries de concertos na região (...) é certamente o facto de os dois pianistas viverem a situação de palco também como artistas".
    (Jornal “Süddeutsche Zeitung”)

Imprensa

  • Harmonia emocionante
    "O que Dinis Schemann ofereceu ao piano de cauda no seu concerto a solo superou todas as expectativas [...]
    A composição (Schubert Sonata em Dó Menor D 958) e a magnífica execução de Schemann fundiram-se numa harmonia emocionante. O público ficou maravilhado e celebrou o pianista após este primeiro desempenho brilhante."
    (Jornal “Boehme Zeitung”, 2018)

  • Concerto fantástico na fábrica de Blüthner
    "Quer fosse um forte enérgico ou um pianíssimo subtil- e as muitas nuances entre os dois – a execução foi magistral e segura, interpretada com paixão, roçando por vezes o burlesco."
    (Jornal “Leipziger Volkszeitung”, 2018)

  • Execução claríssima
    "Os detalhes dinâmicos são cuidadosamente transpostos no primeiro andamento Allegro da Sonata de Beethoven e interpretados de forma convincente no sentido de uma estruturação formal do material composicional. Os acordes quentes timbrados do andamento do meio (Andante con moto) são completamente claros e abrem um espectro de som maravilhosamente colorido. A presença no jogo caracteriza o andamento final rápido, o que leva a uma alta transparência da impressão sonora."
    (Jornal “Süddeutsche Zeitung”, 2017)

  • Grande noite de piano
    "Após o intervalo seguiu-se a poderosa 'Appassionata'. Uma peça tecnicamente muito difícil e exigente, apesar de muito conhecida, que exige sempre uma precisão incrível, sobretudo nos fortes momentos emocionais. Aqui, Schemann mostrou-se um mestre de emoções poderosas, que ele ora habilmente refreava ou deixava fluir livremente - exatamente como a música exigia. Ele deu ao carater eruptivo desta sonata uma nota energética, revelando contrastes ousados e emocionantes, aumentando o suspense dramatúrgico a poderosos picos sonoros. Apesar de tudo, Dinis Schemann mantém a visão geral, permanece mestre da situação, controla inteligentemente o êxtase - até ao grande finale!
    Como um extra, ele brindou o público muito entusiasmado com dois estudos de Frédéric Chopin, com o que este grande recital de piano acabou."

    (Jornal “Kultkomplott”, 2016)

Gravações atuais

Ludwig van Beethoven:

Sonata No. 23 ("Appassionata") in F minor, Op. 57
- Allegro assai
- Andante con moto
- Allegro ma non troppo - Presto

Franz Schubert:

Four Impromptus, D. 899, Op. 90
- Impromptu in C Minor Op. 90/1, Allegro molto moderato
- Impromptu in E-flat major Op. 90/2, Allegro
- Impromptu in G-flat major Op. 90/3, Andante
- Impromptu in A-flat major Op. 90/4, Allegretto

Pode ouvir este álbum em ...

spotify:album:2Civjmf5sFN6STy6M4Lkbo

Estúdio